Observatórios Sociais de São Paulo e Santa Maria reúnem-se para troca de experiências

Da esquerda para a direita, Gioia, Abrahão, Letticia e Sílvia

No dia 30 de abril, o Observatório Social do Brasil – São Paulo (OSB-SP) recebeu a visita da presidente do Observatório Social de Santa Maria (RS), Sílvia Vantobel. Durante a reunião, que contou com a participação do presidente do OSB-SP, Paulo de Oliveira Abrahão, da vice-presidente, Gioia Tumbiolo Tosi, e da coordenadora de projetos, Letticia Rey, foi promovida a troca de experiências e de ideias de trabalho em rede.

Para Abrahão, apesar da distância e diferenças entre as cidades, os problemas e desafios dos dois Observatórios são muito semelhantes. “Foi interessante trocar essas experiências, principalmente na área de monitoramento de licitações e acompanhamento do Legislativo, para entender melhor o que os outros OSBs estão fazendo e como nós podemos aprender um com o outro”, disse o presidente.

Sílvia Vantobel destacou a qualidade no trabalho de capacitação de voluntários na cidade de São Paulo. “Considero de extrema importância a troca de informações que acontecem nestas visitas. Conhecer o trabalho e dividir experiências traz um enriquecimento para todos. Pude ver que o OSB-SP está produzindo resultados e fazendo um excelente trabalho de formação de voluntários”, afirmou.

*Por: Redação OSB-SP

Observatório Social do Brasil – São Paulo participa do maior evento de voluntariado do mundo

A quarta edição brasileira do Dia das Boas Ações, organizado pela Atados, levou mais de 20 ONGs ao Parque do Ibirapuera para divulgar a importância do trabalho voluntário. O OSB-SP teve uma tenda na “Feira de ONGs” e apresentou a importância do controle social aos participantes

Equipe do OSB-SP na “Feira de ONGs” do Dia das Boas Ações 2019

O Dia das Boas Ações (DBA) 2019 mostrou que a terra da garoa não deixa de trabalhar nem com uma boa tempestade. Apesar das chuvas do último sábado (06/04), 20 organizações não governamentais (ONGs) apresentaram seu trabalho à centenas de pessoas que passaram pelo Parque do Ibirapuera em meio a diversas atrações artísticas e culturais da edição paulista do maior evento de voluntariado do mundo. Três milhões de pessoas são mobilizadas anualmente em mais de 90 países. Por aqui, a responsabilidade de levar o tema da transparência pública para o DBA foi do Observatório Social do Brasil – São Paulo (OSB-SP), que teve uma tenda na “Feira de ONGs” para explicar como a organização e seus projetos funcionam.

“Quando pensamos em trabalho voluntário, normalmente vêm à cabeça ações na área da saúde, educação, assistência social, etc. A relação entre o cidadão e o poder público raramente é lembrada, pois não temos a cultura de cobrarmos nossos direitos. Daí a importância de incluirmos o controle social como uma das ações de destaque do DBA: divulgá-lo como uma forma de trabalho voluntário para o cidadão que quer mudar nossa realidade de baixa eficiência e pouco controle dos gastos públicos, e não apenas indignar-se com ela”, salientou o presidente do OSB-SP, Paulo de Oliveira Abrahão.

Presidente, Paulo de Oliveira Abrahão, e vice-presidente, Gioia Tumbiolo Tosi, do OSB-SP, participam da equipe de ação do DBA

Para o voluntário Alexandre Gama de Souza, de 21 anos, o envolvimento no DBA foi uma experiência diferente. “Fui capaz de verificar que as pessoas não participam ativamente da fiscalização dos governos, não porque não querem, mas sim por falta de conhecimento dos mecanismos de fiscalização a disposição.” Souza lembrou da importância do trabalho em rede para aumentar a união e expressividade do terceiro setor. “Um evento como o DBA, onde se congrega diversas ONGs, é superinteressante, pois sabemos que a realidade não é feita de caixinhas isoladas, mas de interdisciplinaridade e multidisciplinaridade, tornando muito melhor e mais forte o movimento”, concluiu.

Em 2019, o DBA está em sua quarta edição no país, realizado pela ONG Atados e produzido pela Muda Cultural. Nina Faria, coordenadora da Atados e do Dia das Boas Ações no Brasil, destacou que todas as edições do DBA tiveram sempre o mesmo foco: “fortalecer o terceiro setor e inspirar nossas pessoas a se tornarem voluntários”. Segundo ela, as organizações estão muito mais participativas em todas as frentes do evento. “Nesta edição, conseguimos ir além. 70% das atrações e oficinas foram realizadas por ONGs: espetáculo de dança com jovens com síndrome de down, teatro de idosas, teatro com pessoas cadeirantes e deficientes visuais, circo social, percussão, jogos cooperativos e muito mais. Achamos importante poder contemplar o trabalho do terceiro setor em outras etapas do projeto, por isso, parte da cenografia foi realizada por três projetos sociais diferentes.”

Área próxima à Marquise do Ibirapuera, onde aconteceu o DBA

O trabalho continua!

Para aprofundar o conhecimento e a participação de quem se interessou pelas ONGs durante o DBA, a Atados organizou a Semana Social, onde as organizações disponibilizam palestras, cursos, oficinas e atividades culturais e artísticas ligadas a suas áreas de atuação. A programação começou no dia 8 e vai até o dia 14 de abril. O OSB-SP oferece, a partir de amanhã (10/04), três oficinas de controle social. Confira:

Oficina de Monitoramento de Licitações
Data: 10/04
Horário: 19h às 21h

Oficina de Monitoramento do Legislativo
Data: 11/04
Horário: 19h às 21h

Oficina do Cuidando do Meu Bairro
Data: 12/04
Horário: 19h às 21h

Para participar, basta se inscrever enviando um e-mail para o OSB-SP (saopaulo.adm@osbrasil.org.br) com o nome completo do(s) participante(s) e oficinas que irá participar. Todas serão realizadas na Fecap – Liberdade.

Confira aqui a agenda completa da Semana Social!

O início do Dia das Boas Ações 

O DBA começou em 2007, lançado pela ONG israelense Ruach Tova. A ideia foi da empresária e filantropa Shari Arison e, já no primeiro ano, teve 7 mil participantes. O objetivo era estimular pequenas ações e doações e, hoje, mobiliza mais de 3 milhões de pessoas em mais de 90 países pelo mundo. 

*Por: Redação OSB-SP