OSB-SP troca experiências com mais de 100 cidades no 10º Encontro Nacional dos Observatórios Sociais do Brasil

Representantes dos mais de 100 OSs e palestrantes do 10º ENOS (Foto: Anderson Nicoforenko/Comunicação OSB)

Neste domingo (25/08), o Observatório Social do Brasil – São Paulo (OSB-SP) participou do 10º Encontro Nacional de Observatórios Sociais do Brasil (ENOS), que contou com a presença de mais de 100 organizações locais do Sistema OSB. O evento aconteceu no Centro de Eventos da FIEP, em Curitiba (PR), com o tema “Somos 140 de um sistema só”.

A abertura ficou por conta do presidente do Observatório Social do Brasil (OSB), Ney Ribas, que salientou a importância da reunião e encontro presencial dos representantes de cada cidade. “É justamente o que tornou o OSB forte. É o momento da troca de experiências e consolidação da metodologia. O nosso objetivo agora é que, em cada cidade, cada um de nós busque as lideranças de seguimentos para tornar seu município, independentemente do tamanho, um fórum onde a sociedade se sinta representada”, disse.

Para isso, o ENOS contou com diversas exposições para orientar o alinhamento do Sistema OSB, como o “Código de Conduta”, a “Atuação dos OSBs junto aos órgãos observados” e a apresentação do novo manual de identidade visual da rede. Uma das grandes novidades foi a criação das Câmaras Temáticas, colegiados que oferecerão apoio técnico para Observatórios Sociais que não tenham em seu corpo profissionais ou especialistas necessários para colocar em prática determinados projetos. Cada Câmara Temática será organizada por um OS com ampla experiência em projetos do tema.

Para a coordenadora de projetos do OSB-SP, Letticia Rey, participar do 10º ENOS é o momento de fortalecer a rede. “Apesar de o Sistema OSB ser antigo, o OSB-SP é mais recente, então a gente precisa muito dessa integração. No entanto, nós temos muito a contribuir, porque São Paulo tem uma experiência, pelo tamanho da cidade, muito interessante de se compartilhar com os Observatórios de municípios pequenos, ao mesmo tempo que temos muito a ganhar com experiências que estão mais redondas dentro desses outros OSs, onde a gente consegue vislumbrar os processos finais de resultados que queremos trazer para a capital paulista”, afirmou Letticia.

À esquerda, a coordenadora de projetos do OSB-SP, Letticia Rey, em diálogo após o apresentação das Boas Práticas (Foto: David Nascimento/OSB-SP)

Boas Práticas

Vinte e oito Observatórios Sociais apresentaram seus vídeos para o 2º Concurso Boas Práticas 2019, criado para incentivar e divulgar as práticas de sucesso de cada município. As produções são submetidas a votação popular e os três trabalhos que tiverem recebido o maior número de curtidas serão premiados durante o 3º Congresso Pacto Pelo Brasil.

Os vídeos foram separados em cinco temas: “Monitoramento de Obras”, “Monitoramento de Poder Legislativo, Leis e Compliance”, “Melhoria em editais, acompanhamento de entregas”, “Educação Fiscal e Voluntariado” e “Monitoramento de Merenda e Saúde”. O vídeo do OSB-SP participou na área da Saúde, apresentando a avaliação de uma compra e da política pública de transparência de dados. O Projeto de Licitações do Observatório de São Paulo percebeu dificuldade de acesso à informações sobre o programa de automonitoramento glicêmico, além de falhas nos aparelhos,concorrência não ampla e falha na entrega de produtos. Confira o vídeo e vote aqui.

Observatório mais longe de SP

Um dos Observatórios Sociais presentes no 10º ENOS foi o OSB – Benjamin Constant, um município do interior do Amazonas de cerca de 40 mil habitantes. Geograficamente é o mais longe do OSB-SP, com quase 3,3 mil quilômetros de distância. Também é o mais distante da sede em Curitiba. “Se o voo fosse direto, seriam sete horas de voo. Só que a gente pega o avião em Tabatinga, na fronteira com a Colômbia, até Manaus. De Manaus vem para cá, então demora mais”, explicou o presidente da unidade local, José Cuesta.

O OSB – Benjamin Constant foi fundado em fevereiro de 2019 e é o primeiro do estado do Amazonas. “A gente pretende ser o projeto piloto da região para expandir essa ideia. E é um paradigma para mudar a cultura local. São Paulo, por exemplo, é uma coisa totalmente antagônica a nossa. Uma cidade tão pequena e isolada comparada a maior metrópole do Brasil, onde tudo parece mais organizado, o OSB tem parceria com universidades… E esses observatórios em rede são muito importantes. Se nós estivéssemos sozinhos, o OS já nasceria morto, pois o pessoal ia nos intimidar de todo jeito. Só que eles sabem por meio de nossas palestras que é um sistema forte, tem cidades grandes como Curitiba e a capital paulista”, destacou Cuesta.

ENOS

O Encontro Nacional de Observatórios Sociais do Brasil ocorre desde 2012 com o objetivo de reunir os dirigentes, técnicos e voluntários dos Observatórios Sociais para disseminar as boas práticas, aperfeiçoar a metodologia e discutir estratégias para expansão do Sistema OSB.

*Por: David Nascimento/OSB-SP