OSB-SP reúne administradores de NCIs para discutir principais desafios nas políticas públicas para a terceira idade em SP

Relatórios servirão de base para estudo que será apresentado na Câmara Municipal de São Paulo em março. Objetivo do encontro foi coletar informações de quem vive o dia a dia dos NCIs

Rubens Casado, coordenador do projeto de monitoramento do NCI,
em apresentação no início do encontro

Nesta quinta-feira (21/02), o Observatório Social do Brasil – São Paulo (OSB-SP) reuniu mais de 70 administradores de Núcleos de Convivência do Idoso (NCI) para levantar os principais desafios e dificuldades na implantação das políticas públicas direcionadas à terceira idade no município. O encontro aconteceu na FECAP e foi dividido por eixos temáticos em quatro salas de debates: grade de atividades (frequência – justificativa), alimentação (merenda diária), economicidade (relação custo/benefício da atividade pública) e frequência presencial x atendimento domiciliar.

O objetivo do evento foi coletar informações de quem vive o dia a dia dos NCIs e com os dados fazer um estudo sobre os eixos temáticos como parte do projeto Avaliação de Política Pública – Núcleo do Desenvolvimento do Idoso. “Nós temos que tornar essas desigualdades e dificuldades discutidas em agenda governamental e o Observatório Social de São Paulo está aí para colocar a cara para bater em nome de todas estas pessoas, usuários e administradores dos NCIs”, destacou Rubens Casado, coordenador do projeto do OSB-SP. Para isso, cada sala de debates contou com um relator. Os quatro relatórios abastecerão um estudo que será divulgado pelo OSB-SP no “Seminário – Núcleo de Convivência do Idoso”, que ocorrerá na Câmara Municipal de São Paulo no dia 21 de março.

Casado apontou três dificuldades muito citadas durante os debates de quinta-feira. “A primeira é que muitas unidades tem repasses limitados para alimentação, o que faz com que os lanches oferecidos não supram as necessidades nutricionais do idoso. O ideal seria que todas conseguissem oferecer o que chamamos de refeição quente, com arroz e feijão”, explicou.

Ainda segundo Casado, outro problema está na execução dos atendimentos domiciliares. “Muitas vezes um atendimento que está programado para durar uma hora, pelas necessidades e condições do idoso, pode durar mais de quatro, o que altera toda a programação metrificada e atrasa outras visitas. Ainda nesse tipo de atendimento, sobretudo nas regiões mais afastadas, muitos assistentes sociais estão tendo problemas em chegar nas residências pela insegurança urbana, relatando casos de roubo, o que também afeta a prática da política pública”, detalha Casado.

Projeto Integração

A abertura do “Encontro – Núcleo de Convivência do Idoso” teve a participação do presidente do OSB-SP, Paulo de Oliveira Abrahão, da vice-presidente, Gioia Tumbiolo Tosi e do pró-reitor de Extensão e Desenvolvimento da FECAP, Wanderley Carneiro. Na ocasião, Carneiro ofereceu aos usuários do NCI o Projeto Integração, que disponibiliza gratuitamente um curso básico de informática para a terceira idade.

Em parceria com a JCI e o IPK, as aulas iniciam-se no dia 09 de março e acontecem em todos os sábados (exceto no dia 20 de abril) até dia 15 de junho, das 9h às 12h no laboratório 311 do Campus Liberdade da FECAP.

Para inscrições e mais informações, envie um e-mail para projetojci2019@gmail.com ou entre em contato pelo telefone 3272-2261 de segunda à sexta, das 10h às 22h.

Relembre:

O projeto de monitoramento dos NCIs está dividido em duas etapas:  o levantamento do número de unidades existentes e em funcionamento na rede e o da qualidade dos serviços oferecidos.  “Nossa intenção é incentivar a ampliação da rede, sobretudo com a instalação de unidades nos distritos ainda não contemplados e, também, colaborar para o aperfeiçoamento dos serviços oferecidos”, afirmou Rubens Casado. 

De acordo com a apuração do OSB-SP, apesar de existirem 90 NCIs em São Paulo, apenas 46 dos 96 distritos administrativos municipais da cidade contam com pelo menos uma unidade. Ou seja, em mais de 50% dos distritos não existe. 

*Por: Redação OSB-SP